Maternidade

Pronação dolorosa (deslocamento do cotovelo)

Olá, depois de muito tempo…

Férias, sempre bom né.

Já estou de volta à realidade, rotina organizada e gostaria de compartilhar com vocês uma ocorrência das férias.

As lindas fotos abaixo me fizeram passar o maior aperto, uma velha e danosa brincadeira que quase todos nós fazemos.

Balançamos Vick pelos braços, no que a colocamos no chão ela encolheu o bracinho e começa a chorar, eu percebendo que se tratava de choro de dor, fiquei desesperada.

Achei que tivesse lesionado minha pequenina. Fomos ao hospital em Berlin, para a nossa sorte, lá todos se viram no inglês 🙏🏻 em alemão ficaria complicado…

A médica plantonista olhou, e nos encaminhou para a pediatria em outro hospital.

Depois de 3 horas de espera, ela examinou, até então Vick ainda chorava quando mexíamos no bracinho.

A pediatra disse que só foi um susto, estava tudo na mais perfeita ordem.

Eu mexi de novo para me certificar, ela chorou. Depois disso esticou o braço e disse que não estava mais doendo.

Realmente só foi um baita susto, e foi aí que descobri que este tipo de lesão é bastante comum na criança entre 18 meses e 04 anos de idade. Nesta faixa etária o cotovelo da criança não está ainda bem formado e apresenta muita frouxidão ligamentar.

O cotovelo é uma dobradiça formada pelo encontro do osso do braço (úmero) encaixado em um osso do antebraço (ulna). No antebraço existe outro osso (rádio), localizado no lado do polegar, e no cotovelo ele interage com a ulna para realizar a rotação do antebraço (chamada de movimento de prono-supinação) .

A cabeça do rádio é presa na ulna por uma ligamento que a envolve como um anel (ligamento anular)

Se ocorre uma tração no rádio para longe do cotovelo ocorre lesão do ligamento anular (que é fino nesta faixa etária) e deslocamento da cabeça do rádio do encaixe no osso vizinho.

 

SINTOMAS

A criança começa a chorar e mantém o braço parado ao lado do corpo com a palma da mão virada para trás. Se recusa a levantar o braço acima da cintura que causa desconforto e não usa a mão deste lado (se você tenta lhe oferecer algo, por instinto ela apanhará com a outra mão). Tem dor quando tentamos “rodar”o antebraço. Ela até para de chorar mas mantém o braço imóvel ao longo do corpo para grande apreensão dos pais.

CAUSAS

A causa da lesão pode ser óbvia, como quando os próprios pais puxaram a criança pelo braço, mas em algumas circunstâncias pode ser obscura; a criança não sabe contar aos pais o que ocorreu e a babá afirma que a criança caiu…

Muitas vezes é uma combinação do movimento da criança e de um adulto.

• A criança se joga no chão e um adulto tenta levantá-la pela mão (levante-a segurando por baixo dos braços).

Evite brincadeiras de balançar a criança segurando-a pelas mãos

• A criança está segura pelo braço quando sofre uma queda súbita.

• segurar a criança pela mão para ela não sair correndo

• puxar a criança quando estamos andando de mãos dadas e estamos com pressa (lembrar que o passo da criança é menor)

O QUE FAZER?

Leve a criança para o hospital o mais rápido possível. Um médico Ortopedista irá determinar se não há fratura ou algo mais grave.

Em geral, não há dor á palpação do cotovelo e nem inchaço.

A radiografia não é necessária se não há sinais de fratura no exame físico, pois na pronação dolorosa a radiografia aparece normal apesar do deslocamento do rádio.

TRATAMENTO

Após acalmar a criança e os pais e estabelecer uma relação de confiança, o médico realiza uma manobra, chamada de  redução , que é  bastante simples, sendo realizada no consultório, sem necessidade de qualquer anestesia.

É realizada rodando o antebraço para colocar a mão virada para cima e depois fletindo o cotovelo enquanto segura o braço – pode sentir um click (isto pode causar um breve desconforto , mas  em geral a criança recupera  rapidamente a movimentação do braço).

Pedimos para os pais aguardarem na recepção por uns 15 minutos e na reavaliação a criança já está utilizando normalmente a mão.

Habitualmente não há necessidade de nenhum tipo de imobilização ou fisioterapia após a redução, porém algumas crianças permanecem com desconforto, mesmo após a redução, talvés pelo cotovelo ter sofrido o deslocamento e machucado o ligamento.

Nestes casos imobilizamos com tala gessada, prescrevemos medicação para dor e reavaliamos em 03 dias.

Algumas crianças têm maior predisposição á esta lesão e os episódios podem ser recorrentes. Isto não é motivo para preocupação, pois as lesões devem cessar com o crescimento da criança, não deixando nenhuma sequela.

Prevenção:

Evite puxar a criança pelas mãos conforme explicado anteriormente, especialmente se esta já tem história de pronação dolorosa. Neste caso oriente também a babá, os parentes e as outras pessoas que terão contato com a criança.

 

texto: DR. EDUARDO PEREIRA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s